Ser completo, ser inteiro, ser humano…

Diante de uma realidade desgastada por tantas notícias, num mundo de transformações em velocidade espantosa, urge a necessidade de mudanças no comportamento humano.

Certamente, ações paliativas e remediativas deverão ser implementadas para garantir segurança e evitar a gravidade de muitos acontecimentos recentes na história da humanidade.

Podar os galhos é importante, mas cuidar das sementes é essencial.

Nunca antes nos foram exigidas tantas habilidades de ser e conviver.

A tecnologia uniu continentes e trouxe uma convivência significativamente diversa da habitual. Aquela ‘velha’ maneira de se relacionar e aprender transformou-se muito mais rápido do que a evolução emocional humana. A proximidade física, o compartilhamento de vivências e experiências, o olho no olho, o aprender fazendo transformou-se rapidamente em aprender vendo. Vendo vídeos, postagens, tutoriais. Experiência real em virtual. Face a face em facebook, instagram e whatsapps. Proximidade e vivência são agora mídia social e contato virtual.

Nada volta a ser como antes, a mutação é rápida e constante. O que precisamos é estar conscientes desse desafio de educar gerações que estejam preparadas com o que ainda é inerente: a viver em sociedade.

Educar exige um olhar atento para desenvolver um ser completo, apto em suas competências acadêmicas e socioemocionais. Estimular, promover e cuidar de todas as habilidades que um ser humano necessita num cenário futuro de baixa previsibilidade. Favorecer a capacidade criativa e a resiliência, para que desde os primeiros passos até os grandes desafios da vida haja condição adequada para as melhores possibilidades. É dar base de conhecimento teórico e prático para que os conflitos e dificuldades sejam superados com sucesso individual e coletivo.

O desenvolvimento das habilidades socioemocionais é fundamental para garantir à criança e ao adolescente um futuro melhor, por meio do controle das emoções, do saber falar e ouvir, do saber decidir coerentemente, dentre outros fatores essenciais para uma vida adulta em sociedade.

O Colégio Ser! acredita que o educador, sua sensibilidade e modelo de conduta ética é peça chave nesse processo. Priorizar em sua rotina as aprendizagens que demandam um processo contínuo e persistente. Ser modelo de uma ética que favoreça a vida e a convivência harmoniosa. O educador, seja pai ou professor, precisa estar consciente desse papel. Por esse motivo, o Colégio investe neste tripé. Na preparação de seus profissionais, na orientação aos pais e promovendo o desenvolvimento contínuo das habilidades socioemocionais para os alunos através da diretriz curricular de aprendizagem emocional – Ser! Completo. Esta estrutura se desdobra em diversas ações em todos os segmentos do Colégio, incluindo a promoção de espaços de pertencimento e convivência que extrapolam as salas de aula. Trazendo eventos que envolvem toda a comunidade Ser! na busca de reflexões críticas e ações pertinentes em assuntos contemporâneos e urgentes, como na Campanha da Corrente do Bem  – Todos contra o Bullying! e na Semana On-line.

É cuidar da semente para que nela germine e cresça como essência humana a tolerância, a gratidão, a gentileza, a solidariedade, o companheirismo e o respeito. Nunca antes estas dimensões foram tão imperativas na aprendizagem. Seja em casa ou na escola. Não é mais questão de boa educação, é necessidade básica.

Acreditamos que, cada qual em seu papel, mas apoiados e confiantes, parceiros na certeza que podemos plantar um presente mais seguro para o florescer de um futuro melhor.

Na inspiração do compositor: “Há que se cuidar do broto para que a vida nos dê flor e fruto”.

 

 

Patrícia Bacos

Setor de Psicologia Colégio Ser!

Deixe um comentário